janeiro 11, 2010

A Casa do Lago


 
O quadro estava suspenso no quarto onde dormia, na parede ao lado da varanda que dava para o pelourinho, obra prima da arte manuelina. Não tinha assinatura. Parecia-me uma tentativa a óleo de imitar um qualquer impressionista, talvez, em parte conseguida não pela técnica em si, mas pela cor, pela luz e pela serenidade que me transmitia.
Tinhas deixado um bilhete em cima da cómoda, debaixo da moldura que te havia dado com o meu retrato. Tinhas escrito "Vou ter contigo à casa do Lago...quero que estejas à minha espera muito bonita."
Sorri para mim e depois para o quadro. Imaginei-me à janela, afastando os ramos da buganvília, e tentando antever a tua chegada. No tejadilho do carro trarias a canoa, na ânsia de vasculhares todos os recantos e cascatas que te chamavam, dizias tu, e onde te perdias horas a fio, enquanto eu lia e dormitava, dormitava e relia, deitada na erva fresca que cheirava a verão e a sonhos. No primeiro dia dos dias passados na Casa do Lago, tínhas-me deixado um outro escrito meio escondido dentro da canoa - lembras? - "não entres para dentro da canoa ,vai ao fundo com nós os dois...".
Voltei a sorrir. Abri o armário em madeira de castanho (embriagou-me o cheiro doce que dele se desprendia) e tirei o vestido em tons de azul, os sapatos pérola de pequenos tacões e vesti-me demoradamente. Passei as mãos pelo cabelo e compus os folhos sobre o meu peito a descoberto. Pude assim saltar para o quadro suspenso na parede, fazer dele um Monet ou um Degas, e esperar por ti, na claridade da tarde quente, o meu reflexo na água morna, e a minha voz a dizer-te, ao ouvido, "Vou esperar por ti na casa do lago, sim..."

3 comentários:

Teresa disse...

Teresa
Que belo texto. Como apetece, às vezes, saltar para dentro das imagens que fantasiamos.
Bjs

AnaMar (pseudónimo) disse...

Sabe que não elogio gratuitamente.
sempre gostei da sua escrita.
Poesia, por vezes a frio...
Esta prosa a quente, escaldante como o fogo que arde no coração de alguém que sabe o que é o amor.
Lindo.

Vocas disse...

Que bonito...