janeiro 09, 2010

Flor-de-Lótus


Flor-de-Lótus era o nome de uma boneca, pertença de uma amiga de infância, com quem brincava às casinhas, no prédio de três pequenos andares por onde se estendia a sua casa antiga e de escadas exíguas.
Sempre quis pôr este nome a qualquer coisa minha. Às filhas, tal não me passou pela ideia, sou franca, e às bonecas que eu tive depois também não, porque Flor-de-Lótus era só aquela.

Poderia ter posto o nome ao Jasmim, não fosse ele um macho, que me adoptou como sua não-sei-quê e que, apesar de já ter feito dois anos, continua a deliciar-se no meu colo quando me vê sentada na mesa, a trabalhar, obrigando-me muitas vezes a teclar apenas com a mão direita.

Sem dúvida que sim. O meu Jasmim poderia chamar-se Flor-de-Lótus, que no meu dicionário significa Minha-Ternura-de-todo-o-Tamanho, Meu-Torrãozinho-de-Mel, Minha-Fofura-Branca-de-Neve, ou qualquer nome derivado, que Jasmim só parece não chegar.

Poderia então dizer-lhe, nana, nana, Jasmim-Kenino-Flor-de-Algodão, e adormecer, quem sabe, embalada no teu doce ronronar.

2 comentários:

Teresa disse...

Já percebi que o bonitão da fotografia é o Jasmim. Então, não arranjaste uma gata para chamar Flor-de-Lótus?
Bjs

3za disse...

Está lindo ele........
Beijinhos